MPPE pega no pé dos prefeitos do Pajeú para que cumpram promessas da última campanha.

0
97

No processo de sucessão municipal de 2016, o MPPE (Ministério Público de Pernambuco), através de um grupo de Promotores de Justiça do Sertão do Pajeú, em Pernambuco, elaborou em conjunto com a Sociedade Civil organizada, Rotary Clube, Cimpajeú e outras instituições, um documento com propostas para educação, saúde, assistência social, cultura, desenvolvimento rural e meio ambiente.

Este documento foi enviado aos candidatos eleitos naquele ano e estes assinalaram com o que se comprometiam, depois devolveram o documento ao ministério. Estes compromissos foram ratificados em debates transmitidos por emissoras de rádio local.

Buscando acompanhar o cumprimento das propostas, o MPPE se reuniu com os prefeitos em 2017 e voltou a se reunir nessa quinta-feira (17), em Afogados da Ingazeira.

Nesse encontro de ontem estiveram em evidência os assuntos: segurança hídrica, com a Adutora do Pajeú e Barragem de Ingazeira, com demandas que precisam ser resolvidas junto ao Ministério da Integração, como os 15% restantes para conclusão da barragem, assim como transparência.

O promotor de Justiça Dr. Lúcio Luiz de Almeida revelou que no telão foram abertos alguns Portais da Transparência de prefeituras da região e que, embora alguns gestores acreditassem que cumpriam o que diz a Lei da Transparência, foram contatadas falhas nos sistemas.

Foi feita a tarefinha e o dever de casa aqui para os prefeitos, naquilo que foi mostrada (falhas) para cada município”, disse Dr. Lúcio.

De modo geral o promotor classificou como positivo o encontro e principalmente o movimento, pois visa o desenvolvimento como um todo da região e não de uma cidade isolada. “Essa experiência que acontece aqui, não acontece em outras regiões, disse.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here