Obras que parecem nunca terminar

0
75

Faz uns um mês, mais ou menos, que o Ministério Público de Pernambuco convocou prefeitos da região do Pajeú para uma reunião em Afogados da Ingazeira visando pressionar suas gestões a tirarem do papel aquilo que foi prometido nas eleições de 2016. Muita coisa ainda está no campo das promessas.

Além de constatar que alguns dispositivos destas administrações não funcionam como deveriam, é o caso dos Portais das Transparência, o MPPE também elencou numerosa lista de promessas feitas em campanha e esquecidas nestes dois primeiros anos de mandato.

A peculiaridade de não cumprir o que promete é latente no político brasileiro, embora a maioria já tenha o sentimento de que não se deve esperar pelas promessas, de que aquilo faz apenas parte do jogo, do ritual.

Em Serra Talhada temos vários exemplos de promessas que se arrastam anos após anos. É o caso da urbanização do bairro Mutirão, que hoje tem muito da obra avançado, mas que levou talvez três vezes ou mais o tempo. Já foi instrumento utilizado em outras campanhas, estaduais e municipais.

A obra do prédio dos Bombeiros, outra que enfrenta muitas dificuldades e que caminha a passos de formiga. O governo do Estado garante que logo, logo entregará a obra à população.

Mas os atrasos não estão somente na esfera estadual, não. No município o SAMU há dois foi parar em musiquinha de campanha como algo concluído, embora falando da estrutura física sim, mas o serviço em si nunca funcionou. Temos uma UPA-24H que também a dois anos foi parar na musiquinha como algo concluído e de sucesso. A abraço não deixou o estágio de fundações ainda e caminha em velocidade bem aquém daquela dos comícios em 2012.

Mais recentemente o Governador Paulo Câmara prometeu o Hospital Geral do Sertão. Assinou ordem para terraplanagem, já tem licitação da obra e promete entregá-lo em 24 meses, quem sabe até antes, o que sempre duvidamos aqui na bancada, tendo como justificativa a experiência com as obras da administração de Paulo no município. Nada caminho dentro do cronograma e a entrega e sempre uma incerteza.

Recentemente o prefeito Luciano Duque, que tem expertise em prometer e não fazer, em desacelerar e até em prometer como sem falta e faltar como sem dúvidas, como diz Jessiê Quirino, se achou no direito e com moral para dizer que não acredita que o Hospital Geral do Sertão funcione em 2019, nesse aspecto concordamos e já analisamos estas possibilidades aqui na bancada. Mas com a palavra vinda de quem deveria ter entregue UBS em 2016 e ainda não fez, temos convicção de estarmos falando com um especialista no assunto.

O nosso apelo é que assim como funciona com o Dr. Lucio Luiz de Almeida Neto, que tem provocado discussões importantes no médio Pajeú, que aqui o Ministério Público também demonstre mais interesse pela pauta e acompanhe a aplicação de recursos e o cronograma da obra.

Com a atenção especial do MPPE, com a participação do cidadão nessa discussão poderemos acabar com a prática de usar as promessas apenas como arma para conseguir os votos, sem qualquer compromisso com a necessidade, viabilidade, muito menos com a execução.

Com a experiência de tantas obras inacabadas, paralisadas ou andamento, vivemos escaldados e diante da avaliação do prefeito de que não teremos nem tão cedo o Hospital Geral do Sertão funcionando, colocamos nossas barbas de molho. Afinal, é apalavra de quem tem expertise no assunto!

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here