Rompantes a cada novo temporal

0
75

Não se resolve problemas com falácias ou rompantes. É necessário ter projeto, planejamento e competência para conseguir os recursos e aplica-los da maneira mais eficiente. Não é bem isso que se vê na gestão de Luciano Duque em Serra Talhada. Em 2015 esse governo, ao lado de MPPE e Câmara de Vereadores, ouviu a população e prometia confeccionar um documento com os problemas deveriam ser corrigidos para amenizar ou extinguir os alagamentos na cidade. Quase 4 anos depois, nada há de concreto!

A memória do cidadão brasileiro como um todo é muito curta, aliada isso a escassez de chuva na região nos últimos anos, fizeram as pessoas não cobrarem que medidas tinham sido feitas e quais ainda seriam, baseadas naquele levantamento de 2015. Este ano as chuvas voltaram, e de maneira até generosa, e ao invés de ser vista como aliada, interrompendo um ciclo terrível de estiagem, não! Ela é vista como vilã, como causadora de problemas.

Com as chuvas de 23 e 26 de novembro a prefeitura voltou a esboçar algum tipo de reação, montando o “Gabinete de Crise”, para tratar dos problemas causados por aquelas precipitações e para “meter a mão na massa” visando construir saídas para chuvas seguintes. No entanto, depois dos trabalhos paliativos, de poucos materiais que foram retirados, bueiros desobstruídos, pouco avançou. As áreas críticas continuam as mesmas e nenhum projeto de obra de médio porte foi apresentada. Pode ser que outra vez esteja sendo levantada a cortina de fumaça para dar “satisfação” ao povo, sem que seja de fato com intervenções sérias e responsáveis. Muito alarde e pouco serviço.

É lamentável que os poderes, Legislativo, Executivo e judiciário (representado pelo MPPE) tenham fracassado naquelas oitivas realizadas há 4 anos.  Que garantias teremos de que agora será diferente?

O que queremos são obras de verdade que possam acabar ou minimizar os problemas causados pelos “açudes” que se formam na “Rua da Delegacia” e ao lado da 19ª Ciretran, além de outros velhos conhecidos do cidadão serra-talhadense, e não rompantes, “pantins”, encontros e nomenclaturas meramente midiáticos, com o costume de sempre de iludir o cidadão que sofre com os problemas dos alagamentos. O povo merece respeito!

Maciel Rodrigues

Jornalista SRTE-PE 5598  

Radialista DRT 2671

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here